Autoavaliação e percepção social do compromisso pró-ecológico: medidas psicológicas e de senso comum

José Q. Pinheiro, Raquel Farias Diniz

Resumen


Investigações psicológicas sobre compromisso pró-ecológico (CPE) tipicamente utilizam escalas desenvolvidas para avaliar o quanto as pessoas se interessam pelo meio ambiente, porém, tais resultados nem sempre são bem compreendidos por profissionais de outras áreas de interface, como os educadores ambientais. Apresentamos dois estudos (N1 = 380; N2 = 205) cujo objetivo foi comparar a autopercepção com a percepção social do CPE. Os participantes realizaram avaliações: de seu próprio CPE, por meio de escalas psicológicas e autorrelatos sobre a prática de cuidado ambiental; e também do CPE de colegas que estudavam na mesma turma, frequentando as mesmas aulas. Observamos correspondência entre a percepção autorrelatada do CPE e a social, realizada pelos pares. A percepção social foi claramente mais expressiva entre os dois indicadores do senso comum do que entre escalas e senso comum, evidenciando a necessidade de mais estudos sobre o tema. 


Palabras clave


compromisso pró-ecológico, cuidado ambiental, percepção social, autoavaliação, senso comum

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14349/rlp.v45i3.1483

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.